NoticiasOurilândiaRedenção

Cresce movimento de apoio a servidores que denunciaram que são vítimas de assédio moral de Juiz em Ourilândia

Parte dos servidores do TJPA segurando mensagens de apoio aos colegas de Ourilândia.

Servidores de tribunais de diversas comarcas do estado do Pará decidiram fazer uma movimento de apoio aos colegas de Ourilândia do Norte os quais denunciam que são vítimas de assédio moral cometido pelo magistrado titular da Comarca.

A denúncia ocorreu na última quinta-feira (07), quando o Juiz Juliano Dantas Jeronimo teria impedido os funcionários públicos de acessarem suas salas para trabalhar e se comunicado de forma repugnante com eles. Conforme o Sindju-PA, esse episódio não é isolado, sendo que há mais de um ano vem acontecendo na comarca uma série de atos que ferem a dignidade dos servidores e os colocam em situação vexatória.

Em entrevista à nossa redação, Thiago Lacerda, presidente do Sindju-PA, afirmou que foi preciso coragem dos servidores para levar o caso até a Corregedoria do TJ e pedir a instauração de um procedimento que apure a conduta do magistrado, pois ele tem poder hierárquico. Ainda, é necessário que os servidores permaneçam firmes diante da hipótese de retaliação e o apoio de colegas de outras comarcas, sensibilizados com o caso, é importante nesse sentido.

Na terça-feira (12), alguns servidores de diferentes comarcas reuniram-se e tiraram fotos segurando mensagens de incentivo para que não se deixe de denunciar o assédio moral no judiciário, como “Não se cale” e “Todos por Ourilândia e contra o assédio”.

“Vamos falar de assédio. Somos todos Ourilândia!!!”, diz cartaz de servidor do TJ em Ourilândia.

Thiago Lacerda também destaca que o assédio moral no ambiente Judiciário não só afeta os servidores, emocionalmente e psicologicamente, mas também a própria sociedade, na medida em que servidores que ficam abalados acabam desempenhando os serviços com menor efetividade.

 

O Juiz mandou tirar as faixas de apoio aos servidores que estavam fixadas na frente do fórum de Ourilândia.

Hoje (13), uma inspeção extraordinária da Corregedoria do Tribunal de Justiça se instalou in loco, com a presença da Desembargadora Diracy Nunes Alves e a Juíza Kátia Parente Sena. O objetivo é averiguar o caso. Os depoimentos dos envolvidos devem terminar de ser colhidos na sexta-feira (15).

Representando os servidores, a Vice-presidente do Sindju-PA, Danielly Martins, esteve presente na inspeção. Em nota, ela disse que “todos os servidores relatam atos de humilhação, gritos, repreensão constantes, tudo sob o fundamento de ser autoridade máxima.O clima organizacional na comarca está deteriorado e insustentável.”

Caso a Corregedoria de Justiça do TJPA não tome providências no sentido de afastar o magistrado, servidores cogitam levar o caso ao conhecimento do CNJ. (Karyne Cruz, da Redação)

o

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo