Acidente

Polícia Civil divulga nomes de mortos em acidente. Ônibus saiu de São Félix do Xingu em situação irregular

Não há nenhum paraense entre os mortos, porém, a listagem não menciona os feridos. A ANTT aponta que o ônibus usado pela empresa não poderia estar rodando.

(Foto: Paula Sieplin / TV Fronteira)

A Polícia Civil de São Paulo concluiu a identificação das sete pessoas que morreram em um acidente, envolvendo um ônibus interestadual e um caminhão, na noite desta segunda-feira (21). O ônibus saiu de São Félix do Xingu, no sudeste do Pará, e ia a Carazinho (RS). A viagem foi interrompida no quilômetro 385, da rodovia Assis Chateaubriand (SP-425), perto da cidade paulista Parapuã.

A empresa responsável pelo ônibus é a Hélios Coletivos e Cargas, a qual contratou o ônibus da empresa São Jorge.

Veja as vítimas identificadas:

– Washington Pereira dos Santos, 43 anos: motorista do ônibus, morador de Anapólis (Goiás)
– Cláudio de Lima de Olivo, 65 anos: passageiro do ônibus, natural de Palmital (Paraná), iria para Campo Mourão, no Paraná
– Tiago Sérgio Von Dentz, 29 anos: passageiro do ônibus, natural de Guarujá do Sul (Santa Catarina), iria para a cidade natal
– Maria José da Silva, 60 anos: passageira do ônibus, natural de Lucas do Rio Verde (Mato Grosso), iria para Maringá, no Paraná. Acompanhava o neto de 8 anos
– Celina Carneiro Alves, 69 anos: passageira do ônibus, natural de Perdizes (Minas Gerais) e moradora de Teófilo Otoni, também em Minas Gerais
– Bartogaleno Alexandre dos Santos, 33 anos: passageiro do caminhão, morador de Lucélia (São Paulo)
– Donizete Alexandre dos Santos Filho, 30 anos: motorista do caminhão, morador de Lucélia (São Paulo).

Em nota, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) informou que a “Empresa Hélios Coletivos e Cargas está habilitada na ANTT para prestação do serviço regular interestadual de passageiros, para operar a ligação de São Felix do Xingu (PA) – Carazinho (RS). Quanto ao veículo de placa IYF-8759/RS, que nos foi passada pela imprensa como envolvido no acidente, ele consta como inativo no sistema da ANTT e está com Certificado de Segurança Veicular vencido, ou seja, não poderia estar sendo utilizado pela empresa”. As primeiras informações da investigação apontam que, possivelmente, o acidente ocorreu por conta de uma roda do ônibus ter se soltado.

A Hélios contesta a ANTT e afirma que o veículo está em condição regular até outubro de 2021. A empresa também garante que está dando todo o suporte às vítimas mortas e feridas. Dois ônibus farão o transporte de 25 passageiros que já receberam alta médica a hotéis. Posteriormente, vão para os destinos originais. Os demais passageiros ainda hospitalizados continuarão recebendo suporte. (Fato Regional)

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo