CoronavírusTerras Indígenas

Covid-19 se alastra de forma devastadora nas aldeias do sul e sudeste do Pará

A doença causou, nas últimas 72 horas, a morte de cinco indígenas das aldeias Cateté e Oôdjã Xikrin, em Parauapebas, e Trocará, em Tucuruí

Como vem sendo alertado por estudiosos das comunidades indígenas, o novo coronavírus se propaga de forma devastadora nas aldeias do país. No Pará, que concentra diversas aldeias, o vírus causou, nas últimas 72 horas, cinco mortes em três aldeias localizadas na região sudeste do estado.

Na sexta-feira (22), a doença causou a morte de Bemok Xikrin, de 72 anos, da aldeia Xikrin do Cateté, em Parauapebas. No sábado (23), perderam a luta contra doença a guerreira Ponakatú Assurini, que era conhecida como Vanda, da Aldeia Trocará, em Tucuruí; e Ireiabeiti Xikrin, da comunidade Oôdjã Xikrin, em Parauapebas.

No domingo (24), o vírus calou Sakamiramé Assurini e, nesta segunda-feira (25), levou o cacique Poraquê Assurini, ambos da aldeia Trocará. A morte de três lideranças dos Assuri levou a Prefeitura de Tucuruí, com apoio do governo do estado, a fazer uma ação na comunidade, localizada a cerca de 20 km da cidade.

Foram distribuídas 3 mil máscaras de panos e feita a orientação sobre os cuidados para prevenir o contágio pelo vírus. Na comunidade, segundo a prefeitura, vivem 700 indígenas.

A aldeia já possui 11 casos confirmados de infectados pelo novo coronavírus, com quatro óbitos. Ainda há suspeita que mais de 30 Assurini estejam com a doença, pelos sintomas apresentados.

Segundo a prefeitura, além das máscaras de pano, foram enviados três técnicos em enfermagem do município para auxiliar nos atendimentos à comunidade, feita na Unidade Básica de Saúde Indígena (UBSI).

De acordo com Raimundo Assurini, Líder Indígena, uma das necessidades da aldeia é a instalação de um redário na Escola Warara’ Awa Assurini, para dar mais conforto e segurança aos índios sintomáticos da Covid-19. Para atender essa demanda, a prefeitura informou que enviará, inicialmente, 50 redes para implantação do redário.

Em Cumaru do Norte, no sul do estado, 15 índios da etnia Kaiapó estão infectados pelo vírus, segundo o Boletim Epidemiológico do município, divulgado na noite desta segunda-feira. Eles são quase a metade dos acometidos por Covid-19 no município, que está com 37 casos da doença.

Em todo o país, mais de 81 mil índios estão em situação de vulnerabilidade crítica, com alto risco de perecer caso a pandemia de Covid-19 chegue às suas regiões, segundo aponta um estudo realizado por antropólogos e geógrafos liderados pela demógrafa Marta Azevedo, da Unicamp. (Tina Santos)

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar