EleiçõesPoliticaXinguara

XINGUARA: Roberto da Yamaha garante não dever nada à Justiça

Na última quinta-feira (15),  o TRE indeferiu liminar requestada pela defesa de Roberto  de habbeas corpus para  trancamento da ação penal. 

Roberto Teixeira é atual vereador e candidato a vice-prefeito compondo a chapa de Amarildo

Roberto da Yamaha, que está sendo processado na Justiça Eleitoral suposta por compra de votos, afirmou à imprensa que, ao contrário do que muitos dizem por aí, ele é ficha limpa e pode sim ser candidato  do Município de Xinguara, sem dever nada à justiça.

Em  28 de Setembro, o An10 notícias publicou matéria noticiando que a Justiça da 61ª Zona do Pará recebeu a denúncia do Ministério Publico em face de Roberto da Yamaha, e reportou detalhes contidos no teor da denúncia. (Veja a matéria aqui)

Nossa reportagem ouviu o atual vereador e candidato, que compõe chapa com Amarildo Paulino nas eleições deste ano, o qual contou que grupos políticos propagadores de ‘Fake News’ exploraram a referida matéria acrescentando que ele seria ficha suja e inelegível, o que não consta em matéria. Diante disso, ele  quer deixar claro a tais pessoas: “Tenho todas as provas necessárias, por isso é que digo: serei sim candidato a vice-prefeito de Xinguara ao lado do Amarildo Paulino. Não devo nada para a Justiça, sou ficha limpa”.

Quanto à acusação do MP pelo artigo 299 do Código Eleitoral, de que ele teria oferecido dinheiro e vantagem para outrem para obter voto em 2016, Roberto assegurou “Houve sim uma denúncia que foi averiguada, e que, após a Polícia Federal entender que não havia prova nenhuma para tal denúncia, o Delegado Leonardo Araújo de Almeida, que presidiu o inquérito, pediu o arquivamento da denúncia por falta de provas, como consta nos autos”, disse Roberto da Yamaha.

O pedido de arquivamento que Roberto comenta (disponibilizado por sua assessoria para a nossa reportagem) foi feito pelo Delegado Leonardo Almeida no Inquérito em 4 de Março de 2020, todavia o Ministério Público manteve opinião diferente em agosto oferecendo denúncia ao Juízo Eleitoral, sendo que em setembro o Juiz recebeu a denúncia do MP ordenando citar o réu, que segue sendo investigado no processo, para responder  à acusação.

Roberto da Yamaha afirmou estar à disposição do povo e da justiça.

MAIS:

Na última  quinta-feira (15),  o TRE indeferiu liminar requestada pela defesa de Roberto  de habbeas corpus para  trancamento da ação penal.  O Desembargador   Roberto Gonçalves de Moura entendeu   que a peça  ofertada pelo Ministério Público Eleitoral  acompanha indícios mínimos de autoria e materialidade delitiva, suficientes para o início da persecução penal,  sendo que “O fato do recebimento da denúncia ministerial estar sendo usado eventualmente como fato político pelos adversários do paciente ou simplesmente noticiado pela imprensa, jamais deve justificar o manejo indevido de habeas corpus para o trancamento da ação penal. “

(da redação)

Veja a  denúncia do MP

Veja a decisão do juiz que acatou a denúncia e  mandou citar Roberto

Veja a decisão do Desembargador que indeferiu liminar

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar