NoticiasParáPolitica

Estado vai investir mais de R$ 75 milhões na recuperação da PA-150 e mais de R$ 40 milhões na Transcarajás

O projeto de reconstrução vai da pavimentação à sinalização da rodovia. Fotos: Marco Santos

O governador Hélder Barbalho (MDB) assinou, na última segunda-feira (21), em Marabá, a Ordem de Serviço (OS) para a reconstrução da Rodovia PA-150, que custará R$ 75.356.556,77 aos cofres do Estado.
A assinatura da OS ocorreu às margens da rodovia, na presença de várias autoridades e lideranças locais. Hélder aproveitou a solenidade para ressaltar a importância estratégica da PA-150 para todo o Estado, como via que interliga a Região Metropolitana de Belém a outras regiões, e ainda como corredor de escoamento da produção e riqueza econômica. Ele também citou o alto custo para manter a estrada em boas condições (se referindo ao intenso fluxo de veículos pesados) e as ações prioritárias que o governo vem fazendo para melhorar a malha vária.
“Eu me orgulho porque esse investimento, aqui na PA-150, é totalmente com recursos próprios do Estado. Mas também esclareço que iremos fazer muito mais. O governo fez um empréstimo junto à Assembleia Legislativa, e parte desse recurso será para as estradas. Nós também já autorizamos mais de R$ 40 milhões para a Transcarajás, que deve interligar Parauapebas, Canaã (dos Carajás), Curionópolis e Xinguara, chegando à BR-155, e de lá até o pontão do Araguaia”, informou o governador Helder.

Assinatura da ordem de serviço para recuperação da PA-150

PAVIMENTO E SINALIZAÇÃO: O projeto da PA-150 inclui serviços de limpeza das pistas e acostamentos, reconstrução da pavimentação e tratamento do sistema de drenagem. A rodovia receberá, ainda, nova sinalização com aplicação de tachas refletivas.
Segundo dados da Secretaria de Estado de Transportes (Setran), quase metade de toda a PA-150 será recuperada e conservada. A obra abrange um subtrecho crítico, que vai de Goianésia do Pará (entroncamento da PA-263) até Morada Nova (entroncamento da BR-222), atravessando ainda os municípios de Jacundá e Nova Ipixuna.

PAPEL ESTRATÉGICO: Além de interligar vários municípios, a rodovia assume um papel estratégico para o crescimento do agronegócio no Estado. A PA-150 foi construída há mais de 25 anos, no governo de Jader Barbalho, com o propósito de viabilizar o escoamento de produtos entre as regiões sul, sudeste e nordeste paraense.
A rodovia é um dos principais corredores de escoamento da produção mineral e agropastoril. É por ela que a soja e a produção pecuária são levadas para o porto de Vila do Conde, em Barcarena, de onde seguem para o mercado internacional.

INICIATIVA PRIVADA: A manutenção da rodovia tem consumido muito recurso público. Em cada quilômetro de recomposição do asfalto são gastos cerca de R$ 1,2 milhão. A Setran está analisando documentos, relatórios, fazendo um estudo de viabilidade técnica para buscar a parceria da iniciativa privada para administrar a rodovia. Segundo a secretaria, já foi contratada uma empresa especializada em concessões de estradas.
Sobre uma futura Parceria Público-Privada (PPP), Helder Barbalho disse que é preciso um esforço conjunto de diversas ações do Estado para manter a PA-150 sempre em boas condições de trafegabilidade. “Não dá pra investir R$ 75 milhões em reconstrução da pista e, no ano seguinte, tudo ser destruído pelo trânsito de veículos pesados com toneladas de minério. Nós entendemos que esse traslado faz parte da vocação produtiva do Estado. Mas não é mais possível continuar da maneira que está. Nós já colocamos a primeira balança na altura de Tailândia. Vamos colocar aqui em Morada Nova também, e ainda estamos estudando a viabilidade de colocar outra, para evitar que o volume de carga ultrapasse a capacidade ideal”, reiterou o governador. Agência Pará

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar