NoticiasPolícia

SUL DO PARÁ: Polícia Civil desarticula quadrilha que fraudava emissão de CNH

No Pará foram presos Weslei Lopes da Silveira, Cenage da Silva Lemes, José Carlos Carneiro Santana Júnior e Adão Flávio de Oliveira Paiva

A Polícia Civil do Pará deflagrou, na manhã desta quarta-feira (30), a Operação “Contramão”, que cumpriu 11 mandados judiciais, dos quais cinco de prisão preventiva e seis mandados de busca e apreensão. A operação foi realizada nos municípios de Xinguara e Água Azul do Norte, na região sul do Pará, e na cidade de Ubá, situada na zona mata em Minas Gerais.
Segundo apuraram investigações, a organização criminosa apenas nos seis meses em que foi monitorada, obteve uma quantia superior a R$ 1 milhão, haja vista que foram identificados mais de 200 processos com fortes indícios de fraudes levando em conta que cada CNH custava em torno de R$ 5 mil a R$ 8 mil.
No Pará foram presos Weslei Lopes da Silveira, Cenage da Silva Lemes, José Carlos Carneiro Santana Júnior e Adão Flávio de Oliveira Paiva. E, em Ubá (MG), a Polícia Civil mineira prendeu Ailton de Oliveira.
Os Mandados de Busca e Apreensão foram cumpridos na sede do Detran de Xinguara, em duas autoescolas e em residências. A ação policial é resultado de investigações para apurar um esquema de emissão ilegal de CNHs, documentos emitidos pelo órgão oficial de trânsito que atestam a aptidão de uma pessoa para dirigir veículos automotores terrestres no Brasil.
Foram apreendidas mais de 50 CNHs, inúmeros aparelhos celulares, computadores e uma máquina de coleta de impressão digital que estava em uma casa alugada pela organização criminosa para que as pessoas oriundas de outros Estados ficassem hospedadas
Foram encontradas 11 pessoas que vieram de Minas Gerais para obter CNH no Estado do Pará. A polícia apreendeu 30 CNHs além de diversas impressões digitais feitas em silicone. Os interessados pagavam até R$ 8 mil para obter a CNH de modo fraudulento.
As investigações na fase desenvolvimento, contaram com apoio do Núcleo de Inteligência Policial (NIP) e com o Núcleo de Apoio à Investigação (NAI). Já durante o cumprimento dos mandados, a operação contou com apoio da Superintendência do Alto Xingu, Delegacia de Rio Maria, Tucumã, Água Azul do Norte, São Félix do Xingu, Polícia Militar de Água Azul do Norte e serviço reservado e inteligência do 17º BPM de Xinguara. Com informações da Polícia Civil

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar