Polícia

Ministério da Justiça autoriza Intervenção Penitenciária no Pará

Detentos estavam entre os 30 transferidos em caminhão-cela rumo a Belém após massacre

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, autorizou na última terça-feira (30) a atuação da Força-Tarefa de Intervenção Penitenciária (FTIP) no Pará pelo período de 30 dias. De acordo com o Ministério da Justiça, a portaria publicada no Diário Oficial da União (DOU).
A decisão atendeu ao pedido do governador do Pará, Helder Barbalho, que solicitou ao menos 40 integrantes da FTIP para atuarem em atividades de guarda, vigilância e custódia de presos, além de participar do treinamento dos 642 agentes penitenciários chamados de forma urgente pela Susipe. Os agentes chegaram ao estado nesta quarta-feira (31).

Dez presos irão para presídios federais, outros dez vão para isolamento na RMB e os demais serão distribuídos em outras casas penais

Na segunda-feira (29), 58 detentos foram assassinados durante um confronto entre facções criminosas dentro do Centro de Recuperação Regional de Altamira (CRRA). Líderes do Comando Classe A (CCA) incendiaram cela onde estavam internos do Comando Vermelho (CV). No local, 42 detentos morreram asfixiadas e 16 foram decapitados, segundo a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe).
De acordo com a Susipe, 28 agentes ficarão na Região Metropolitana de Belém, quatro homens vão para Santarém, quatro para Altamira e mais quatro para Parauapebas, municípios onde serão lotados os novos concursados.

Autoridades vistoriaram o presídio após a matança de presos

MAIS MORTES: Quatro dos 30 internos que estavam sendo transferidos em um caminhão-cela que partiu do presídio de Altamira para Belém, foram mortos por asfixia. As mortes teriam ocorrido durante um desentendimento entre os presos dentro do transporte do sistema penitenciário, na noite da última terça-feira (30). O comboio que levava os detentos havia partido ao meio-dia de terça de Altamira
Durante as mortes, o caminhão-cela pernoitava em Marabá, antes de seguir para Belém. A finalidade era remanejar os presos para outros estados e outras casas penais do Pará

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar