DesmatamentoParáTerras Indígenas

PARÁ: Ibama flagra desmatamento ilegal em Terra Indígena, no sudoeste do PA

Área desmatada equivale a aproximadamente 71 campos de futebol. A operação também já havia constatado que a TI Ituna Itatá, a mais desmatada do país, teve mais de mil hectares de devastação somente em janeiro deste ano.

Equipes de fiscalização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) flagraram nova área de desmatamento em terras indígenas, no sudeste do Pará. Sobrevoos feitos nesta segunda (27) comprovaram, ao menos, 76 hectares de floresta derrubada somente neste mês, na Terra Indígena (TI) Koatinemo. A área desmatada equivale a aproximadamente 71 campos de futebol.

Agentes do Ibama encontram área de 72 hectares de devastação em terra indígena Koatinemo, no sudoeste do Pará. — Foto: Ibama

A TI fica localizada entre os municípios de Altamira e Senador José Porfírio e foi regularizada para ocupação tradicional de indígenas isolados do povo Assurini do Xingu, com área de quase 388 hectares e população de 182 pessoas, segundo o Sistema de Informação da Atenção à Saúde Indígena (Siasi).

Terra Indígena Ituna-Itatá, no PA, é a mais desmatada da Amazônia, segundo INPE. — Foto: Reprodução / Jornal Nacional

De acordo com o Ibama, a área estaria sendo preparada para plantio de pastagens. Os invasores seriam grileiros que teriam chegado à área por meio de estradas clandestinas abertas na TI Ituna Itatá, que faz limites com a Koatinemo.

Na última quarta (22), os fiscais do Ibama constataram que a TI Ituna Itatá teve mais de mil hectares de devastação somente em janeiro deste ano. A TI é a mais desmatada do país, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

 

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar