AtualidadesBrasilNoticiasPará

Pará tem a terceira pior renda per capita familiar do Brasil, aponta IBGE

De acordo com a PNAD Contínua de 2019, a renda média, por pessoa, nas famílias paraenses é de R$ 806,76. Na região norte, estado é o que tem o pior desempenho.

Pará tem a terceira pior renda per capita familiar do Brasil. Foto: Reprodução/TV Globo

O Pará foi o terceiro estado do Brasil com menor renda familiar per capita em 2019. Os dados foram divulgados na última sexta-feira (28) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo o levantamento, a renda por pessoa nas famílias paraenses é, em média, R$ 806,76. Esse valor é pouco mais que a metade da renda per capita familiar nacional, que ficou em R$ 1439.

Em 2019, o Pará e outros 11 estados brasileiros registraram média da renda domiciliar per capita menor que o salário mínimo nacional vigente no ano, que foi de R$ 998.

Comparado com outros estados brasileiros, o Pará fica na frente apenas dos estados do Alagoas e Maranhão, que alcançaram a renda per capita de R$ 730 e R$ 635, respectivamente. De acordo com o mesmo levantamento, a maior renda per capta do país está no Distrito Federal, com R$ 2.685.

Renda per capta em 2019 no Brasil. Foto: Arte-G1

Em relação aos outros seis estados do norte do Brasil, o Pará apresentou o pior desempenho. Segundo o IBGE, o estado da região com maior renda per capita foi Rondônia, com R$1.136.

De acordo com o IBGE, o rendimento domiciliar per capita é o resultado da soma da renda recebida por cada morador, dividido pelo total de moradores do domicílio. O cálculo inclui pensionistas, domésticos e familiares. Os dados foram obtidos por meio da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – Contínua (Pnad Contínua), realizada em 2019. A pesquisa reúne informações socioeconômicas e demográficas em cerca de 211.000 domicílios, em mais de 3.500 municípios do país. G1 PA – Belém

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar