BrasilEducaçãoNoticias

Idoso de 82 anos se forma em Direito em Castanhal

Coriolando de Souza Pinto conta sobre os desafios de se formar em meio à pandemia

Aos 82 anos, o bancário e militar Coriolando de Souza Pinto concluiu, com esforço e dedicação, o curso de Direito na Faculdade Estácio de Castanhal, município localizado a 76 quilômetros da capital paraense, Belém. Ao realizar esse sonho, de forma remota, em meio à pandemia do novo coronavírus, o mais novo bacharel em Direito comenta sobre os desafios enfrentados e vencidos ao longo dos cinco anos de curso.
“Foram vários desafios, o primeiro deles era não faltar às aulas e eu obtive 100% de presença durante todo o curso. O segundo foi a realização do TCC, principalmente do tema escolhido desde o primeiro dia de faculdade: “Uma reflexão sobre o Código de Direito Canônico à luz de nulidade matrimonial”, conta Coriolando. Ele explica que a escolha do tema foi motivada pelo desempenho como Diácono Permanente da Igreja Católica, com 40 anos de ordenado.
“Tive como professor-orientador o mestre Ebadan Fortes, ao qual agradeço os ensinamentos transmitidos, ao final consegui nota excelente, gratificante a todo esforço despendido”, acrescenta Coriolando, que em nenhum momento pensou em desistir da graduação. “Caso ocorresse, eu estaria dando um péssimo exemplo a todos os que em mim confiavam, principalmente aos meus filhos e netos”, afirma.
Formar-se em um cenário de pandemia não estava nos planos de Coriolando, mas a conquista rendeu celebrações junto à família. “Não foi como sonhei e planejei, mas celebrei com minha família, minha esposa que sempre me apoiou, meus filhos e filhas, netos e netas, que são meu orgulho. Alguns já formados em várias áreas, inclusive Direito também, Contabilidade, Computação. Outros cursando outras áreas. Celebrei ainda com amigos, cada um em sua casa, devido à pandemia, mesmo assim foi um momento inesquecível para todos”, comemora Coriolando.
Feliz pela vitória, ele deixa uma mensagem aos amigos de turma que não puderam concluir. “Nunca desistam de alcançar seus objetivos, não existe idade para sentirmos a alegria do somatório de lutas e desafios que podemos superar ao longo da jornada. Enfrentem as dificuldades que aparecerem, confie sempre na capacidade de alcançar os seus sonhos, um dia você sentirá a felicidade e alegria que hoje estou sentindo, apesar dos meus 82 anos de vida ao obter um curso superior”, declara. (redepara.com.br)

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar