Redenção

REDENÇÃO: Contrato entre BRK e prefeitura se transforma em pesadelo para a população

Sr. Edivaldo e Sr. Divino mostram com muita indignação as contas de água pagas .

Moradores de Redenção (PA) estão enfrentando uma crise sanitária devido à empresa BRK Ambiental, contratada pelo Município, não estar prestando parte dos seus serviços. O contrato de concessão de abastecimento de água e esgotamento sanitário foi assinado em Setembro de 2012, quando a empresa conseguiu o monopólio desses serviços públicos para 30 anos.

A Câmara dos vereadores recebeu diversas reclamações dos moradores quanto à frequente falta de água em diversos bairros, e em 20 de julho deste ano a Câmara encaminhou requerimento à Prefeitura para que o Poder Executivo instaure uma comissão de fiscalização, orientação e acompanhamento acerca do contrato da empresa BRK e sua atuação ao longo de quase 10 anos de concessão de serviços públicos.  Nossa reportagem não obteve informação de qualquer providência tomada pelo poder executivo.

No mês de agosto último, a situação piorou para os moradores dos setores: Bela Vista, Alto Paraná e Casas Populares. No setor Bela Vista, um dos mais prejudicados, o morador Edivaldo disse que já chegou a ficar até 10 dias sem água, “Aqui nesta rua existem vários vazamentos na encanação, nós reclamamos, mas eles não resolvem”, afirma Edivaldo. Já o senhor Divino Barbosa, morador do mesmo setor, disse que a água só sobe para a caixa durante a noite, “Já reclamamos para o pessoal da BRK e da Prefeitura, mas eles nada fazem”, explicou.

Vereadores não descartam a possibilidade de rescisão do contrato do município com a empresa, pois existem diversos itens que a empresa não está cumprindo. O contrato prevê que 90,0% da população urbana deveria receber o abastecimento de água até 2017. Além disso, a BRK deveria ter feito 20% do serviço de tratamento de esgoto até 2019. Nossa reportagem tentou ouvir a empresa sobre os serviços terem ou não sido cumpridos dentro das metas, mas em Redenção as portas da BRK estavam todas fechadas.

A sede da BRK em Redenção permanece de portas fechadas para a população e a imprensa.

Os vereadores receiam que as demais metas não sejam cumpridas, quais sejam, tratamento de esgoto para 40% da população urbana até 2022, 65% da população urbana até 2025 e 85% da população urbana até 2028. Isso considerando também o novo Marco Legal do Saneamento Básico, sancionado em 2020, que tem o objetivo de universalizar e qualificar a prestação de serviços de saneamentos para o País.

Conforme informações levantadas pela nossa equipe, de 2018 ao início de 2020, a BRK arrecadou um valor mensal variante entre R$350.000,00 a R$500.000,00 por mês, de taxas de cobrança no Município de Redenção.

Para Dr. Rener, um dos vereadores que assinou o Requerimento à Prefeitura, essa situação desperta um sentimento de desrespeito com a população de Redenção e deve ser solucionada de modo urgente. “O contrato tem que ser revisto, pois a população não pode estar pagando por um serviço que não está sendo fornecido direito ao longo de 10 anos. Nenhuma das metas teve o percentual cumprido. O que o poder executivo está esperando para chamar a BRK e questionar porque não estão sendo cumpridas as metas?” Declara e questiona Dr. Renê.

Enquanto essa situação se perdura, a população de Redenção permanece sendo prejudicada pela falta de saneamento básico adequado e aguarda soluções dos responsáveis. (da redação)

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar