CidadesRedenção

REDENÇÃO: Garimpeiros bloqueiam rodovias em protesto contra fiscalização ambiental

O trecho interditado fica próximo ao Tatá a cerca de 20 km de Redenção

Garimpeiros e demais pessoas ligadas à exploração mineral bloqueiam a rodovia BR-158 desde as primeiras horas da manhã desta quarta-feira (30), no município de Redenção, sul do Pará. O grupo protesta, sobretudo contra a fiscalização ambiental nos garimpos do município de Cumaru do Norte, fiscais Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Polícia Federal, que vem atuando ostensivamente na região.

O grupo formado na sua maioria por moradores de Cumaru do Norte e Santa Maria das Barreiras, também conta com o apoio de índios Kayapós. O trecho interditado fica próximo ao Tatá a cerca de 20 km de Redenção. Além da BR-158, o trecho da PA-287 que liga Redenção a Cumaru do Norte também foi fechado pelos manifestantes.
Uma imensa fila de veículos, impedidos de passar pelo bloqueio, foi formada dos dois lados da pista. O movimento não tem previsão de encerrar.

O trecho interditado fica próximo ao Tatá a cerca de 20 km de Redenção

REIVINDICAÇÕES: Segundo os manifestantes, o protesto vai durar até que a pauta de reivindicações seja atendida. A pauta inclui o pedido de legalização dos garimpos de Cumaru do Norte, a melhoria no serviço prestado pela Celpa em Cumaru do Norte, a recuperação e pavimentação imediata da PA-287 entre a BR-158 à sede do município, que nessa época do ano fica intrafegável por conta das fortes chuvas que caem na região, deixando a população do município isolada.
O grupo também reivindica a recuperação da BR-158 entre Redenção e Santana do Araguaia. Diariamente, milhares de carretas carregadas de soja passam pela rodovia. Grande parte da produção é levada para o porto de Vila do Conde, em Barcarena, no nordeste do Pará. Porém, embora seja um corredor de escoamento da produção agrícola do Mato Grosso e do Pará, a população reclama que a estrada foi abandonada pelas autoridades.

Além disso, no trajeto de quase 300 quilômetros de Redenção à divisa com o estado do Mato Grosso, também não há postos de fiscalização da Polícia Rodoviária Federal, o que deixa a viagem ainda mais perigosa, segundo motoristas.
Como a manifestação é por tempo indeterminado, a organização do protesto afirma que as ambulâncias e as pessoas que se irão viajar para fazer a prova do Enem no próximo domingo (3), serão autorizadas a passar pelo bloqueio.

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar